Fio/Cabo/Corda

A Year of My Life-2018, Tommye Scanlin

Tommye Scanlin
Um ano da minha vida: 2018
2018
lã, corante natural, linho; tapeçaria tecida à mão; 132 x 28 x 2,5 cm.
Estas obras são da minha série em curso que chamo de meus Diários de Tapeçaria [Tapestry Diaries]. Desde 2009, fiz tapeçarias em que uma pequena seção é feita a cada dia sem tamanho ou cor predeterminados, com estas decisões tomadas no momento em que me sento para tecer. No final do ano, 365 pequenas áreas tecidas se tornaram parte de toda a tapeçaria. Em cada mês seguinte, eu também incorporo uma imagem de algo do meu ambiente que fotografo ou pinto pela primeira vez, e depois renderizo dentro dos pequenos pedaços diários de tecelagem.

scanlintapestry.com ׀ @bittersweettapestrystudio

Beacon_Jessie Bloom

Jessie Bloom
Farol
2021
linho, tencel, nylon tingido à mão; 152,5 x 91,5 cm. com barra
O meu trabalho atual examina as ligações entre a atmosfera, a paisagem, a luz e a cor. Destaco a maneira em que estes elementos se relacionam com o espectador/a espectadora e sua experiência mutável de um espaço. Os ciclos sazonais e diários deslocam o ar e a luz do nosso meio natural, criando novos ambientes. Estes amolecem a luz e mudam a forma como percebemos a cor e o espaço.

Jessiebloomstudio.com | @jessiebloomstudio

Blinders, Virginia Mahoney

Virginia Mahoney
Antolhos
2021
cobre, tecido recuperado, rede alimentar, linha, fio; armação em cobre soldado, tecido enrolado e esticado, costura à mão, bordado; 91,5 x 61 x 38 cm.
Minhas formas escultóricas em relevo fazem referência ao corpo, refletindo sobre a sensação, a reação e o pensamento com fabricações intricadamente rendidas. Os objetos jogam com a ambiguidade linguística, empregando o texto como dispositivo para clarificar ou confundir, para cativar com histórias que são pessoais e ao mesmo tempo comunitárias. Utilizo a montagem complexa de processos comuns para invocar tanto a familiaridade como a maravilha. Esta abordagem pouco ortodoxa das qualidades materiais físicas ultrapassa a convenção e abraça a possibilidade.
Antolhos tem por sua inspiração as imagens do equipamento de proteção usado por profissionais médicos, polícia, manifestantes e outro/as desde a pandemia de 2020. Concentrando-se nas práticas sociais actuais e passadas de exclusão e de divisão, as formas enfatizam a natureza protetora das barreiras que inventamos e fazem alusão à multiplicidade de maneiras que criamos ou experimentamos a separação dos/das demais, literal e/ou simbolicamente.

virginiamahoneyart.com ׀ @artisteach

Blockchain, Meredith Strauss

Meredith Strauss
Cadeia de blocos
2021
corda de nylon, tapete de aderência; tingimento e costura ikat; 86,5 x 101,5 x 1,5 cm.
Combinando meus conhecimentos das técnicas de tingimento e tecelagem ikat com meu amor pelos têxteis étnicos, desenvolvi um estilo de costura à mão para criar imagens gráficas ousadas que é simultaneamente complexo na estrutura mas simples na execução. Embora minhas peças possam parecer tecidas, são na realidade costuradas, enganando assim a maioria dos tecelões.

meredithstrauss.com ׀ @meredithstrauss

Blood Breath, Kimberly English

Kimberly English
Sangue, respiração, gradiente
2021
camisetas de segunda mão, fio recuperado; tecelagem à mão; 183 x 274 x 5 cm.
Desconstruir têxteis começou como uma forma de me familiarizar com sua construção. Ao investigar o fazer pelo desfazer, o trabalho da criação de um tecido será revisitado. Ao recontextualizar o tecido cotidiano, examino temas centrais à história do “trabalho de mulher”, sua força laboral e o impacto local de uma economia global, sobretudo através de têxteis encontrados e fios recuperados. Embora utilize a familiaridade no aspecto material para destacar temas universais que são predominantes na conotação da roupa, convido a espectadora/o espectador para ver o objeto e sua vida novamente, subvertendo a hegemonia e a história costuradas nas costuras do tecido.

kimberly-english.com ׀ @kimberly__english

Br00klyn Betty, Kandy Lopez

Kandy Lopez
Betty de Br00klyn
2021
fio, tinta spray, lona plástica; tecelagem à mão, pintura; 228,5 x 152,5 cm.
Como artista visual afro-caribenha, estou ansiosa por ser desafiada tanto a nível materialista como metafórico quando represento pessoas marginalizadas que me inspiram e me comovem. Minhas obras nascem da necessidade de aprender algo novo sobre meu povo e minha cultura. Estou interessada em desenvolver um diálogo nostálgico entre a obra de arte e a espectadora/o espectador. Se não aprendo com meus materiais e o efeito que estes têm na mensagem, não vale a pena criar.

kandyglopez.com ׀ @kandyglopez

Breathing_Betty Vera

Betty Vera
Respiração

2020
algodão; tapeçaria jacquard, bordado à mão; 117 x 150 cm.
O chamado ‘acidental’ muitas vezes chama minha atenção e tiro fotografia rapidamente com meu celular para trabalhar mais com ele e desenvolver uma imagem tecida. Minhas fotografias digitalmente manipuladas acabam por se traduzir em entrelaçamentos de fios controlados digitalmente para criar a imagem.

bettyvera.com

Caprice_Heather Larsen

Heather Larsen
Capricho

2019
lã, algodão, seda, trama tencel/urdidura de algodão; 70 x 45,5 x 2,5 cm.
Através de usar uma técnica de tapeçaria, juntei meu amor pelos têxteis com meu fascínio pelo rosto humano. Sempre buscando fazer minhas tapeçarias ainda mais expressivas, utilizo técnicas que subvertem a rede de tapeçaria, dando vida e movimento a esses retratos em tecido. Com meus retratos, maiores que a vida, espero chamar a atenção para a experiência feminina a partir de uma perspectiva feminina, atribuindo um status de elite às mulheres comuns.

Crane Counk Week No.7, Platte River, Mary Zicafoose

Mary Zicafoose
Contagem de grous, semana no. 7, Rio Platte

2022
2 camadas de lã Colônia da Coroa [Crown Colony] em urdidura de linho 8/3, tinta de cuba de índigo, tinta ácida PRO WashFast; criado completamente com ikat de face de trama, fios embrulhados em resistido e tingidos em índigo; 96,5 x 335,5 x 2,5 cm.
Contagem de grous, semana no. 7, Rio de Platte, é meu reconhecimento de um antigo ritual da natureza, a migração anual primaveril dos grous Sandhill voando através da América do Norte. A inspiração para captar esta paisagem fugaz das Grandes Planícies [Great Plains, EUA] em tapeçaria ikat de grande escala veio do início de Covid. À medida que a humanidade se fechava, a natureza continuava, sem problemas. A pandemia deu espaço temporal para meu estúdio tomar nota, fazer comentários e embarcar em uma tapeçaria muito complicada e graficamente complexa. De repente, tivemos todo o tempo do mundo para enrolar quilómetros de fio com milhares de pequenos pedaços de fita ikat que criaram uma resistência não só ao corante índigo, mas também aos eventos do mundo.

maryzicafoose.com ׀ @maryzicafoose

Dangerous Cargo_Ingrid Restemayer

Ingrid Restemayer
Carga perigosa

2020
técnica mista, papel; gravura e bordado à mão; 51 x 51 cm.
Minnesota, EUA, é um estado interior do continente profuso de hidrovias, o que me leva a olhar as culturas da terra e da água simultaneamente. Comecei a utilizar minhas técnicas características e a combiná-las com a linguagem das bandeiras náuticas. O confinamento da pandemia fez o mundo inteiro pensar em maneiras de se comunicar à distância. Comecei a observar como as bandeiras náuticas eram um modo eficaz, analógico e internacional de comunicação à distância.

ingridartworks.com | @ingridartworks

Distorts-Installation_Dale Roberts

Dale Roberts
Distorções – Vista da instalação

2007-2019
objetos encontrados; crochê; 274,5 x 548,5 x 183 cm.
Nós artistas muitas vezes nos colocamos diante de desafios que nos permitem tomar nova direção e crescer. Com isso em mente, comecei a trabalhar em uma nova série de pequenas obras intitulada Distorções [Distorts]. No princípio, as peças deveriam fazer parte de uma série de 100 pequenas esculturas, montadas na parede, cada unidade tendo em alguma parte da sua construção o uso da agulha de crochê. As obras, de tamanho não maior que uma caixa de sapatos (11,5 x 18 x 30,5 cm.) são criadas com a intenção de serem montadas como parte de uma instalação geral. A série alcançou 333 esculturas. Um blog apresentará cada peça à medida que ela é adicionada à série com as diversas formas em que foram instaladas.

daleroberts.blogspot.com | distorts.blogspot.com

Emanate 3, Kristen Kaas

Kristen Kaas
Emanar 3

2021
linho, seda, acrílico; tecido triplo feito à mão; 53 x 39,5 x 5 cm.
Meus tecidos exploram as camadas de proteção e estofamento que criamos para nos proteger. Com um sentido de jogo e de toque, meu trabalho muitas vezes combina elementos contraditórios, tais como delicados tufos de fios junto a fios emaranhados texturizados. Camadas delicadamente tecidas de pregas e babados se entrelaçam para criar uma superfície escultural e texturizada que ondula entrando e saindo da vista. As ondas do tecido enfatizam um movimento contínuo de fluxo, explorando o que nos abrigamos. Camadas deste tipo se percebem frequentemente como fantasiosas, frívolas, decorativas ou tradicionalmente femininas. Ao contrário, essas camadas exploram a ideia de criar segurança, proteção e refúgio. As camadas tecidas, as bordas com franjas e os elementos escondidos buscam ampliar os limites da tecelagem à mão.

kristenkaas.com ׀ @kristenkaas

Embrace_Meredith Strauss

Meredith Strauss
Abraço

2021
cordão de nylon, poliéster mate; 114 x 48 cm.
Integrando meus conhecimentos do tingimento e da tecelagem, desenvolvi um estilo de costura à mão com cordão de nylon. O cordão é simultaneamente complexo em sua estrutura e simples em sua execução para criar ousadas imagens gráficas.

meredithstrauss.com

Encoded, Christine Miller

Christine Miller
Codificado

2020
urdidura de arame de calibre 28, trama de arame de calibre 28, tramas de fibra, contas, enfeites de arame de calibre 28; tecido à mão em um tear de chão de 8 eixos, todos os elementos moldados à mão e costurados com arame; 23 x 15 x 15 cm.
Há 30 anos tenho tecido com arame para criar expressões escultóricas. As esculturas nascem de um material de arte que eu crio—um tecido metálico, feito à mão em um tear de chão com arame e fibra. Codificado [Encoded] apresenta informações misteriosas que resultam indecifráveis. Reconhecemos padrões para desbloquear o significado, mas às vezes a verdade nos evita. À medida que nossas capacidades tecnológicas continuam a avançar, o poder de manipular e distorcer o significado e a verdade se infiltra em nossa realidade. Nos sentimos atraídos por artefatos antigos que parecem ser sólidos com a verdade imóvel, mesmo quando ainda existe uma barreira para a compreensão completa. Será que nossos avanços nos levarão à nossa queda?

christinekmiller.com ׀ @christinekmillerfiberartist

Evanesence_Saaraliisa Ylitalo

Saaraliisa Ylitalo
Evanescência

2021
papel de pinho, papel de amoreira; 122 x 91,5 cm.
Meu marido morreu de repente em 2015. Esta peça faz parte de uma série que explora a memória e como esta, façamos o que façamos, se desvanece. Não podemos nos agarrar às lembranças. A rede está atada à mão com papel de pinho ou fiada com papel de amoreira e tingida com índigo.

saaraliisa.com | @saaraliisaylitalo

Flow 10-Twisted, Alex Friedman

Alex Friedman
Fluxo 10: Torcido

2019
trama de lã, urdidura de algodão; tapeçaria tecida à mão; 96,5 x 96,5 x 2,5 cm.
Fazer uma tapeçaria é minha paixão. Trabalhando com apenas dois elementos, a urdidura e a trama, estou fascinada por todas as possibilidades de desenho. Dentro deste simples formato de grade, a cor, a forma, a linha e a textura se unem para completar minha expressão artística. Meus materiais são todos orgânicos e eu gosto de permitir que minhas tapeçarias passem para a terceira dimensão e abandonem o formato retangular tradicional. Utilizo diversas técnicas de tecelagem para promover a "organicidade" dos materiais. As possibilidades parecem infinitas. Continuo a explorar e a ficar hipnotizada.

alexfriedmantapestry.com ׀ @aqsfriedman

Golden Boy, Black Widow, Deborah Corsini

Deborah Corsini
Menino dourado/Viúva Negra
2021
lã, tintas naturais, bandana de algodão, Lurex, rayon sobre urdidura de algodão; tecido à mão em cunha, tapeçaria de trama excêntrica; 137 x 84 x 1 cm.
Esta tapeçaria é uma expressão abstrata da minha inquietação como testemunha de todas as mudanças políticas, ambientais e sociais que estão ocorrendo em todo o mundo. É uma metáfora da dualidade entre o bem e o mal. O “Menino Dourado” é nosso lindo planeta, sua força vital e suas simbioses naturais. A “Viúva Negra” é todo o que está mal no mundo—a pandemia, a guerra, a pestilência, a mudança climática, a fome, a atrocidade, a desigualdade, a perda da democracia—que está corroendo a estabilidade e a segurança de todos os habitantes vivos deste planeta. Um véu delicado de fios finos em forma de aranha atravessa e cobre a espinha central de cor brilhante. Dos dois lados, umas garras vermelhas (como unhas) apertam esta força dourada.

deborahcorsini.com

Hold Me Like a Mother-Red, Sarah Haskell

Sarah Haskell
Abraça-me como uma mãe: Vermelho

2022
pedras de praia de Maine, fio de linho tingido naturalmente; crochê à mão; 51 x 46 x 5 cm.
Quando as semanas de incerteza se transformavam em meses de agitação política, Covid e a inseguridade climática, me vi precisando de uma âncora para aterrar meus nervos instáveis. No início, levei pequenos objetos naturais como um cogumelo, uma pinha ou uma concha e fiz um pequeno ninho ou aconchego de crochê para mantê-los seguros. Comecei a fazer a mesma coisa com as pedras que peguei na costa de Maine.
Eu amarrei estas pedras em coberturas macias, abraçadas com segurança como uma mãe enfaixaria seu bebê. Fotografei-as em diversos grupos, como se fossem parceiros, famílias, tribos ou coletivos. Também as organizei em pilhas aleatórias, espirais e linhas retas. Sejam sozinhos ou agrupados, estes aconchegos de pedra têm a seriedade que é preciso para acalmar minha inquietação.

sarahhaskell.com ׀ @sdhaskell

I Wish I Said I Loved You, Sinead Hornak

Sinéad Hornak
Quem me dera ter dito que te amava
2021
fios e linhas de algodão; tecelagem jacquard, bordado à mão livre; 56 x 44,5 x 2,5 cm.
Meu trabalho se baseia na abstração do corpo, através da poesia, do bordado, das imagens distorcidas e dos meios mistos. Exploro a ideia do corpo como recipiente, contentor da alma. Na minha série de jacquard, utilizo uma narrativa pessoal para documentar o corpo em momentos de intimidade, expressando a decadência gradual da forma e a batalha entre a alma interior e a presença exterior do corpo. Esta obra é um testemunho da ambiguidade em torno da experiência humana, especialmente em momentos de vulnerabilidade e sexo. Estou aprendendo a lidar com uma relação moribunda, significando o conflito entre minhas emoções, interna e externamente e dando espaço para que o ser interno, nosso eu mais bruto, se torne realidade.

sineadhornak.com ׀ @sinead_hornak

Knots and Bristles_Jill Green

Jill Green
Nós e cerdas

2021
escova de cabo de madeira, cerdas naturais, linho encerado; 7,5 x 10 cm.
Escovas para esfregar legumes. Não destinados ao uso.

Left Hanging, Jerold Ehrlich

Jerold Ehrlich
Deixado pendurado
2012
vergalhão; forrageamento, soldagem, moagem; 15 x 30,5 x 30,5 cm.
O vergalhão é utilizado como armadura esquelética para o concreto derramado com o qual a estrutura a ser construída será formada e emoldurada. Rodeado de concreto, a tensão inerente ao aço mantém o concreto em compressão, reforçando a carga estática. A tensão é direcional. Se a energia for adicionada, seja por gravidade ou por calor, os vergalhões se expressam de maneiras que são características do material, mas que não refletem seu uso pretendido. Utilizo vergalhões e outros detritos de construção para explorar a natureza e discutir a relação entre utilizar e reutilizar, entre energia e tensão, entre estático e ativo, entre interior e exterior, entre contentor e contido, entre momento e tempo.

jerryehrlich.com ׀ @jerryehrlich.sculpture

Light of Dawn, Laura Strand

Laura Strand
Luz do amanhecer

2018
fio de algodão, tinta de fibra reativa, folha de prata, imagem de Eva em folha de prata; tecido à mão, pintado à mão; 86 x 137 x 1 cm.
O mundo transicional refletido na superfície da água provoca introspecção quando eu caminho à beira de um lago. O processo de recriar o poder e a presença desses momentos através da tecelagem, do tingimento e da serigrafia concentra essas experiências. Um dos resultados dessas reflexões foi o ​​emparelhamento de uma escultura em baixo-relevo de Eva (Catedral de Saõ Petrônio, Bolonha, Itália, obra de Jacopo della Quercia, 1485) com o consolo da água. Existe uma intensidade entre a natureza sagrada da água e a compreensão profana de Eva como a pecadora original.
A flexibilidade da tecelagem, a intensidade das relações cromáticas, a fisicalidade lenta e repetitiva da tecelagem são uma bela linguagem para refletir sobre a natureza inefável da água e sua capacidade de proporcionar consolo.

laurastrand.net

Lorenzo's Primo, Robin Bernstein

Robin Bernstein
O Primo de Lorenzo

2018
corda (algumas vintage), cera, madeira; madeira compensada cortada com serra de recortes, superfície de cera de abelha derretida e outros materiais alisados ao esfriar, corda pressionada na cera; 94 x 112 x 2,5 cm.
Esta obra faz parte de uma série de 18 peças sobre o Holocausto. Faz-se pressionando milhares de pequenos pedaços de corda em cera. A natureza intensamente repetitiva de cortar e pressionar honra às vítimas do Holocausta, um crime de imensa e absoluta brutalidade. Também comemora aspetos da natureza humana ao segurar as histórias à luz. O Primo de Lorenzo destaca como a coragem e a humanidade podem ser possíveis, mesmo em circunstâncias horríveis.
Em Auschwitz, Lorenzo Perrone (um modesto italiano que realizava trabalhos forçados) salvou a vida de Primo Levi ao lhe trazer um pedaço de pão e sopa todos os dias durante cinco meses, em segredo e correndo um grande risco. Depois da guerra, Primo Levi encontrou Lorenzo e tentou devolver seu presente ao salvá-lo da tuberculose e do alcoolismo.

robinlbernstein.com ׀ @robinlbernstein

Midwest Landscape III, Rural Craft Bread Basket Doillie, Anita Bracalente

Anita Bracalente
Paisagem do Centro-Oeste III Artesanato Rural: Doce de cesta de pão

2015
algodão perlé, contas de sementes tchecas, fio de algodão; tricô, costura; 21,5 x 42 cm.
Meus tecidos são construídos com contas tricotadas que consistem em padrões ordenados interligados, que frequentemente se dissolvem em desordem não linear, em aleatoriedade e reinvenção. As contas tricotadas se amarram (para trás) no fio de trabalho e depois se desprendem.
Somos criaturas habituais. Nossas vidas são estruturadas por padrões de comportamento—benéficos, destrutivos, pessoais e comunitários. O reconhecimento de padrões é a guia pré-requisita de todos os seres sensíveis. Na cultura material, os padrões são universalmente reconhecíveis e acessíveis, e transcendem as barreiras linguísticas e as épocas históricas. Estes são reconhecidos entre culturas, admirados, compartilhados e reinterpretados. Minhas ideias derivam de um encontro íntimo com os padrões encontrados na natureza e na cultura material dos têxteis que se encontram em todo o mundo, mas sobretudo os do Centro-Oeste rural dos Estados Unidos.

@anitabracalente

Meander 09, Melissa Lusk

Melissa Lusk and McCrystle Wood
Meandro 09

2020
urdidura do linho, trama de lã; tecido à mão, técnica de troca de eixo em um tear de quatro eixos; 155 x 63,5 x 3,5 cm.
É incrível o que se pode fazer com pontos e traços! O ponto simples ou flutuador é a marca mais pequena que pode se apresentar num tecido. Fazemos o desenho com esta unidade mais pequena como nossa ferramenta fundamental de desenho. A colocação de cada marca branca sobre o fundo preto é planejada antes de começar a tecelagem.
Utilizamos a técnica de troca de eixo desenvolvida pelo tecelão britânico Peter Collingwood. Esta abordagem permite ao tecelão de quatro eixos trocar duas camadas de tecido com precisão ponto por ponto em toda a largura do tecido. Meandro 09 [Meander 09] utiliza distintas marcas individuais, pontos, costuras simples, que atraem o espectador/a espectadora a uma topografia nova para a tela tecida.

wood-lusk.com

Memory Catcher, Saaraliisa Ylitalo

Saaraliisa Ylitalo
Apanhador de memória
2020
papel de amoreira, papel de pinho, índigo, folha de ouro; fiado à mão, tecido à mão, tingido com índigo; 122 x 122 cm.
Trabalho na área das artes têxteis há mais de 45 anos. Meu trabalho sempre foi uma reflexão de acontecimentos, reais e psicológicos, da minha vida ou da vida de quem me rodeia. Recentemente perdi minha mãe e meu marido. Durante o período depois das mortes, enquanto organizava seus pertences, pensei muito em nossas memórias e como as conservamos. São preciosas mas tão efêmeras. Será que me lembrarei da ocasião se eu descartar um objeto? Estas obras buscam capturar e guardar as lembranças em uma rede, mas no final das contas as redes, como nossas mentes, não conseguem guardar todas as lembranças. O tempo os filtrará até se tornarem mais tênues e evanescentes.

saaraliisa.com ׀ @saaraliisaylitalo

yarn, beads, wire; tapestry weaving; 16 x 27 x 2 in.

Rebecca Smith
Fogo noturno
2016
fios, contas, arame; tecelagem de tapeçaria; 40,5 x 68,5 x 5 cm.
Meu paradigma definidor é o uso da luz como elemento de desenho. A luz se filtra e emana da minha tecelagem através da manipulação de fio, contas e arame em formas de fluxo livre. Minhas obras são pequenas reflexões íntimas sobre a cor, a textura e suas interações com a luz.

rebeccasmithtapestry.com | @rebeccasmithtapestry

Pagoda_Denise Kovnat

Denise Kovnat
Pagoda

2019
seda enrolada tingida à mão, três urdiduras pintadas combinadas; enfiamento eco, 12 eixos; xale
Chamo este xale de Pagoda em homenagem às origens chinesas da sericultura. Os motivos me lembram o teto de um pagode. A seda enrolada [reeled silk] é uma das fibras mais resistentes conhecidas pela humanidade. Se desenrola diretamente do casulo em um processo meticuloso.

denisekovnat.com

Permutation 4, Katherine Hunt

Katherine Hunt
Permutação 4

2020
fibra de algodão, grafite, cola, látex, acrílico, tela de algodão; colado, pintado; 91,5 x 91,5 x 4 cm.
Desenhando com fibra e existindo em espaços bi- e tridimensionais, eu animo o potencial expressivo e conceitual da linha, acrescentando um material tátil diferente à linguagem de desenho enquanto se levanta a linha a partir de seu suporte bidimensional convencional, para criar obras de técnica mista orientadas ao processo que residem entre a pintura e a escultura. Ao me disciplinar em usar uma linha de fio contínua, é preciso que eu obedeça a natureza do material e acolha o potencial de erro inesperado. Ao preservar o curso da linha, crio registros visuais de tais processos de pensamento e decisões dentro das peças abstratas monocromáticas, convidando os/as espectadores a se envolverem com sua própria subjetividade, a lidar com a imperfeição e a fazer suas próprias associações pessoais.

katherinehunt.xyz/home.html ׀ @katherineahunt

Prism Sticker, Ruth Manning

Ruth Manning
Adesivo Prisma

2020
algodão, lã, seda, linho, rayon, papel fiado, metálicos, fita, Mylar, malha de plástico, tecido, montagem pintada com acrílico; tapeçaria tradicional tecida à mão, tapeçaria em cunha, tapeçaria rasgada, costura, nó de meio engate; 30,5 x 23 x 2,5 cm.
Mudanças recentes na minha visão levaram a uma alteração muito real na minha maneira de ver o mundo, que se reflete em uma série de peças que chamo de Adaptações. Cada obra mostra a progressão que tenho seguido na adaptação à minha nova realidade. Ao passar por este processo, surgiram em mim mudanças internas e externas, e sigo experimentando essa perspectiva adaptada.

ruthmanningtapestry.com ׀ @ruth.c.manning

Profusion, Debra Disman

Debra Disman
Profusão

2018
cartão para livros, papel de amoreira, papel de aquarela, corda de cânhamo, lona crua, furador; pontos, costura, enfiamento, atadura, amarração, dobra, colagem, perfuração; 22 x 62 x 19,5 cm.
Trabalho com formas inspiradas no livro e em mídias multidimensionais da minha própria concepção. Apesar de estar vagamente ligada ao livro enquanto estrutura, a obra se dirige progressivamente para outros domínios conceituais nos quais a devoção ao trabalho material e a paixão pelas qualidades hápticas das fibra, do fio, da cordas e do tecido se tornam poderosos motivadores e temas.

debradisman.com ׀ @artifactorystudio

Red Home, Yulie Urano

Yulie Urano
Casa Vermelha

2019
papel artesanal, cabelo, tinta, fio sashiko; fabricação de papel, tipografia, bordado sashiko; 23 x 26,5 cm.
Como mulher japonesa americana de primeira geração, estou tentando perceber e equilibrar as maneiras em que estas diferentes qualidades têm impacto na minha arte e na minha identidade. Comecei a usar meu próprio cabelo junto com a estrutura do papel para contar minha história sobre onde, o que e quem será meu lar. A natureza gráfica do cabelo e do fio ajudam a criar uma ligação visual entre as qualidades pessoais e abstratas das linhas de sangue e das histórias da minha família por meio de um subproduto de nossos corpos: o cabelo longo e preto. Ao entrelaçar este material tão íntimo com estes processos viscerais e ritualísticos, eu trabalho para refletir e aumentar meus conceitos relacionados com a linhagem, a herança e o afeto familiar.

yulieurano.com ׀ @yulieu

Retour, Suzanne Paquette

Suzannne Paquette
Retour

2020
cotton warp, wool weft with some synthetic fibers; tapestry on vertical Gobelin loom; 70 x 35 x .5 in.
Retour was influenced by my daily encounters with the inhabitants of Morocco where I often stayed over twelve years. My creations were nourished by my reflections on our respective cultures and our way of life. The door or the arch symbolizes the passage between the private and public, and between two cultures.
The format is similar to that of a door. Thus, from afar, the viewer perceives the work as an open door on my universe, where figuration meet abstraction. At the threshold, in a relationship of proximity to the work, he sees what escapes the eye that does not linger. That is the beauty of the fiber, the texture of the weaving, the amalgams of colors as well as the touching imperfection of the figures.

suzannepaquette.com

Shift, Caroline Bagenal

Caroline Bagenal
Deslocamento

2022
papel, linhas de bordar, fio, bordado; 35,5 x 20 cm.
Nesta obra exploro a parte inferior dos textos bordados. Cada ponto da superfície do papel está conectado aos pontos da parte inferior por uma rede de fios conectados, como raízes. A parte inferior me interessa como manifestação do processo criativo, irrestrito, incognoscível, caprichoso, divertido e misterioso. Ao contrário da legibilidade da parte superior, a parte inferior questiona como uma língua desconhecida ou uma escrita ilegível pode se comunicar com o espectador/a espectadora.

carolinebagenal.com ׀ @carolinebagenal

Skirting the Issue_Nolan Wright

Nolan Wright
Bordear a questão

2020
agulhas de pinho, fio de linho encerado, cabo de poliéster e c-lon, arame anodizado, tintas, pintura acrílica; 20 x 30,5 x 30,5 cm.
Se trata de uma exploração lúdica da cor, da textura, da técnica e da forma utilizando agulhas de pinho do sul de folha longa enroladas, tingidas pelo artista e banhadas em pintura, arame de cobre revestido, linho encerado e outros fios para a costura. Para a saia amarrada, se utilizavam os mesmos materiais, com exceção do arame. Para o acabamento se utilizava uma camada leve de cera de abelha.

Spider Vest, Erika Diamond

Erika Diamond
Colete Aranha

2018
fio de Kevlar, telas doadas, algodão perlado, gimp dourado; renda de bobina, tecido à mão em tear de chão; 127 x 40,5 x 7,5 cm.
Meu trabalho questiona a fragilidade e a resistência tanto do corpo humano como das conexões entre nós. Propõe que tenhamos o poder de nos mantermos vivos uns aos outros. Colete Aranha [Spider Vest] faz parte de uma série em andamento de coletes de segurança da moda criados com material Kevlar à prova de balas em resposta ao tiroteio do clube noturno Pulse em 2016. Cada um está desenhado para se adaptar e proteger uma pessoa diferente da minha comunidade queer, refletindo suas idéias individuais em torno da segurança pessoal e do estilo. Estes objetos têxteis questionam quem é valorizado, visto e protegido em nossa sociedade estadunidense contemporânea, ao mesmo tempo em que acrescentam a um catálogo contínuo das pessoas na minha vida e dos meus persistentes esforços para se agarrar a essas conexões vitais.

erikadiamond.com ׀ @diamond_erika

Svalbard-Arctic Glacier Melting_Minna Rothman

Minna Rothman
Svalbard: O derretimento dos glaciares árticos

2021
lã, linho, seda, boucle de seda, forro de algodão; urdidura e trama de linho (o uso da trama de linho permitiu o uso de diversos tipos de tecelagem).
O derretimento de um glaciar forma um riacho que inunda uma área que tem estado debaixo do gelo durante séculos. A superfície recém-exposta revela o trabalho silencioso da água derretida. As elevações mais baixas de um terreno robusto se alisam com os vales cheios de rochas criando um planalto coberto de líquens.

mzrstudio.com | @minnarothman

Two Paths Same Patch_Susan Iverson

Susan Iverson
Dois caminhos/Mesmo caminho
2020
lã, seda, linho; 160 x 98 x 20 cm.
Os recentes acontecimentos políticos, ambientais e médicos nos EUA em todo o mundo me fizeram reavaliar minha compreensão da história e da educação que recebi e aceitei. Minha recente série All Things Equal [Todas as coisas iguais] me permitiu investigar estes pensamentos e tentar colocá-los em uma perspectiva pessoal. As tapeçarias tratam da longa história dos seres humanos e das suas relações uns com os outros e com o meio ambiente ao longo de milhares de anos de desenvolvimento. Embora as tapeçarias tenham surgido de minhas frustrações, são uma expressão de esperança.

susaniversonart.com | @susaniversontapestry